Mensagens da reunião: 21/11/2018


Cânticos dos Cânticos, 5, 2-6

2.Eu dormia, mas meu coração velava. Eis a voz do meu amado. Ele bate. Abre-me, minha irmã, minha amada, minha pomba, minha perfeita; minha cabeça está coberta de orvalho, e os cachos de meus cabelos cheios das gotas da noite.

3.Tirei minha túnica; como irei revesti-la? Lavei os meus pés; por que sujá-los de novo?

4.Meu bem-amado passou a mão pela abertura (da porta) e o meu coração estremeceu.

5.Levantei-me para abrir ao meu amado; a mirra escorria de minhas mãos, de meus dedos a mirra líquida sobre os trincos do ferrolho.

6.Abri ao meu bem-amado, mas ele já se tinha ido, já tinha desaparecido; ouvindo-o falar, eu ficava fora de mim. Procurei-o e não o encontrei; chamei-o, mas ele não respondeu.

Referência: Bíblia Católica Online

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *