Mensagens da reunião: 19/09/2018


Jeremias, 6, 1-8

1. Fugi, filhos de Benjamim, para longe de Jerusalém! Tocai as trombetas em Técua, erguei uma flâmula no alto de Betacarém! Porque dos lados do setentrião surge uma desgraça, uma grande calamidade.

2.A bela e delicada filha de Sião, eu a destruo.

3.Para ela caminham pastores e rebanhos, que armam ao redor as suas tendas; cada um apascenta o seu quinhão.

4.Declarai-lhe guerra! De pé! Cavalguemos em pleno dia! Desgraçados que somos! O dia cai, estendem-se as sombras da noite.

5.Ergamo-nos. Travemos combate à noite, e lhe destruamos os palácios!

6.Eis o que diz o Senhor dos exércitos: abatei as árvores, erguei plataformas contra Jerusalém! É ela a cidade que deve ser castigada, pois que se intumesceu de violências.

7.Como a nascente faz brotar a água, assim ela expande sua maldade; nela apenas soam palavras de violência e ruína, e só se vêem chagas e feridas.

8.Corrige-te, Jerusalém, para que de ti não se afaste minha alma, e eu não te transforme em deserto, terra sem habitantes.

 

Provérbios, 8, 20-27

20. Sigo o caminho da justiça, no meio da senda da eqüidade.

21.Deixo os meus haveres para os que me amam e acumulo seus tesouros.

22.O Senhor me criou, como primícia de suas obras, desde o princípio, antes do começo da terra.

23.Desde a eternidade fui formada, antes de suas obras dos tempos antigos.

24.Ainda não havia abismo quando fui concebida, e ainda as fontes das águas não tinham brotado.

25.Antes que assentados fossem os montes, antes dos outeiros, fui dada à luz;

26.antes que fossem feitos a terra e os campos e os primeiros elementos da poeira do mundo.

27.Quando ele preparava os céus, ali estava eu; quando traçou o horizonte na superfície do abismo.

Referência: Bíblia Católica Online

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *